segunda-feira, 1 de abril de 2013

Tampere. Sauna.

É horrível, nojenta, mal cheirosa, desagradável, e tudo de negativo. Eu odiei, foi a primeira vez como experiência mas não voltava a repetir. Perdi praí dois litros de água em quarenta minutos de tanto transpirar. Mas é um ar super abafado, ao início nem estava a conseguir respirar direito, primeiro que me habituei ao ar seco quente e abafado foi difícil. Parece que ainda sinto o cheiro da sauna no meu nariz, o que não é nada bom. Praí trinta minutos dentro da sauna, e fomos todos ao lago, gelado. Água a um grau positivo. É horrível. Eles batem mal. Eu tive três segundos dentro de água. O percurso da sauna até ao lago é feito ao ar livre, à temperatura ambiente. Deviam estar praí três graus positivos no ar e nós em biquíni. Sem mais nada. Foi dizer todo o tipo de palavrões. Como se adiantasse alguma coisa. E insultar os filandeses! Mas que estúpidos e anormais. Faziam aquilo como se estivessem na praia. Deficientes. Portanto, chegamos, tiramos a roupa no balneário. Vamos pra rua, quinze segundos ao ar até à sauna. Entramos naquela sala minúscula onde estão 50 mil pessoas a suar por todos os lados, a pingar do nariz, orelhas, pés, um nojo a uma temperatura altíssima! e muitos com cara de sofrimento, mas sem saírem dali. Dá dó ! Depois são cinquenta segundos a pé ao ar livre até ao lago. Com água G-E-L-A-D-A! Alguns mergulham lá dentro, nadam como se fosse uma piscina aquecida. (Deficientes!). Saímos do lago e sauna outra vez. Os finlandêses após o lago ficam sentados num banco no exterior durante algum tempo, a secarem ao sol como se estivesse uma temperatura muito boa. Nós não, voltamos imediatamente pra sauna. Calor horrível, abafado blá blá tudo outra vez. Eles fazem este processo umas cinco vezes. Eu só fiz uma. Não gostei nada. Só queria vestir a minha roupa quentinha e vir embora. Foi experiência, ao natural. Foi viver um pouco como eles. Amén que sou portuga e existe praia. Amén amén !
Depois fomos a uma torre de Tampere, onde há um café com uns donuts muito famosos. Fomos experimentar. Eram bons sim senhor. Comi e gostei. Acompanhado com cafezinho com leite. O café daqui é água. Nada nada intenso. Numa caneca grande. Bebe-se.
Depois subimos a torre e tivemos uma vista sobre Tampere. Até chegar aos destinos uma pessoa passeia pela cidade, anda de autocarro e assim. Passamos um bocado por habitantes. É bom.

O lago semi-gelado.

Desengane-se quem pensa que aquele mini chafariz é com água quente. Não é. 
Depois do lago eles ficam nestes banquinhos a secar a espinha. Depois voltam para a sauna!
O chão em gelo. Temperaturas a rasar os 0 graus e eles cá fora com tempo para tirar fotografias e isso tudo.


Meninos pequeniiiiinos!




Água a 1 grau positivo.
Decoracão do café dos donuts. (Estou na faculdade de enfermagem e os teclados nem têm c com cedilha! )


Bem pequenino e acolhedor.
Pormenor das toalhas.
O meu donut e o meu café com leite.
A vista da torre.
A frase inspirado na porte da torre, ou propícia a suícidios.
"A cada segundo que abres a porta, comeca a nostalgia de todos os segundos precedentes." - Profundo!






Sem comentários:

Enviar um comentário