quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Jogos Olímpicos e a realidade portuguesa.



Vi este texto pelas redes sociais, e está algo de muito realista.
É enorme, mas vale tão a pena. É assim que se começam a mudar mentalidades.


"É a realidade...
Não deu...
Nelson Évora não vai conquistar uma medalha olímpica no Triplo Salto, mas realizou uma excelente final.
Os seus três primeiros saltos foram muito bons.
Sempre acima de 16 metros e 90 centímetros e no seu terceiro salto, Nelson Évora saltou 17 metros e 3 centímetros.
A sua melhor marca do ano!!!
Não tinha saltado tanto neste ano...
Os últimos três saltos?!
Arriscou tudo...
Três saltos nulos...
O último salto era muito, muito bom!
Só que a chamada foi nula...
Aos 32 anos de idade, com o seu historial de lesões, Nelson Évora deu tudo.
Beijou o símbolo do nosso país, depois de concluir a sua final.
É a lei da natureza.
Aparece sempre um novo "Leão" para tomar conta do "pedaço".
Vai suceder o mesmo, ao jovem que se sagrou Campeão Olímpico.
Ninguém domina para sempre...
E aparecem sempre os "Leões mais jovens".
Sempre!
Os que vivem no Olimpo, são "apenas" os "Leões" que resistem mais tempo.
Fernando Pimenta?!
Em lágrimas...
Porquê?!
Devido a uma das maiores ameaças para os canoístas nesta edição dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro:
As algas...
Quando ele liderava a prova, segundo o canoísta, algas ou folhas, ficaram presas ao leme da sua embarcação.
Isso tem acontecido muito.
É assim para todos...
Lá se foram quatro anos de trabalho na prova de K1 1000 metros.
Esta é a nossa realidade, não somos uma potência desportiva e as pessoas vão atrás da histeria da comunicação social, que tem de vender o evento.
Os atletas estão a fazer o seu melhor.
Isto decide-se por detalhes...
Nem tudo tem sido mau:
- Telma Monteiro conquistou uma medalha de onze no Judo.
- Rui Costa fez uma prova de estrada no ciclismo espectacular.
Ficou em décimo e à frente de ciclistas como Chris Froome, num percurso muito duro.
Muito duro!!!
Ele não pode controlar certas coisas...
Como uma avaria e ter que mudar de bicicleta, como ficar sem apoio, devido a uma queda de Nelson Oliveira, como haver um corte no momento decisivo e no grupo que liderava a prova, devido a uma queda que ocorreu à sua frente.
Tu não podes controlar isso...
Faz parte do ciclismo, os outros são muito fortes e podem ter mais sorte.
"Detalhes".
- Nelson Oliveira ficou em sétimo na prova de contrarrelógio individual.
Mesmo depois da queda na prova de estrada, conseguiu um diploma Olímpico e a melhor posição de sempre de um ciclista português nesta especialidade nuns Jogos Olímpicos.
Isso é uma má prestação?!
Claro que não.
- E o que dizer de Marcos Freitas?!
Fantástico...
Primeiro português a atingir os oitavos-de-final no Torneio Singular de Ténis de Mesa.
Fez mais do que isto...
Atingiu os quartos-de-final!!!
E lutou para ir à meia-final, caiu num grande jogo com um mesatenista japonês e com dignidade (4-2 em "sets").
Na prova de equipas venceu o seu adversário austríaco e Portugal lutou com a Áustria, a actual campeã europeia até ao fim, perdendo por muito pouco.
Isso é mau?!
De forma nenhuma...
- Filipa Martins tornou-se na melhor representante portuguesa na ginástica artística olímpica, ao terminar o concurso de "all-around", no Rio de Janeiro, na 37.ª posição.
Teve uma grande prestação e fez história.
Portugal tem alguma expressão na modalidade de Filipa?
Não, nunca teve...
Investe-se alguma coisa?
Não, não se investe nada de jeito...
Ela vai desistir dos seus sonhos? Vai deixar de lutar? De fazer o que gosta?!
Esperemos que não.
É só a melhor ginasta da nossa história...
- Já foram batidos dois recordes nacionais!!!
Alexis Santos bateu o recorde nacional de 400 metros estilos, superando a sua anterior marca.
O nadador português estabeleceu novo máximo luso (04:15.84) ao terminar na quarta posição da segunda série.
O recorde nacional dá para o quarto lugar numa série...
O que é que nós somos na natação mundial?
Irrelevantes...
Alexis vai desistir?
Claro que não.
Tem que continuar a lutar contra os seus limites e a nadar.
Patrícia Mamona esteve ESPECTACULAR no Triplo Salto.
Na final da competição, bateu por DUAS VEZES o seu antigo recorde nacional.
E existiram outros momentos...
Para um país que já ganhou medalhas na Vela, temos tido resultados interessantes.
No Ténis, João Sousa caiu na segunda ronda, mas ainda ganhou um set a Juan Martín del Potro e lutou como podia.
Este é o país do futebol...
Quem é que quer praticar Ténis de Mesa? Quem é que quer praticar Canoagem?
Quantos jovens querem dedicar-se de corpo e alma à Natação, ao Atletismo, à Esgrima e por aí adiante?!
Pois...
O que é que o estado português investe nestas modalidades?!
Pois...
Temos pouquíssimos adeptos federados nas modalidades.
Nem precisas sair do futebol...
Atletas federados no futebol masculino?
Mais de 100 mil.
E mulheres?!
Nem 3 mil...
Como é que podemos competir com as grandes potências desportivas?!...
Não podemos.
Na nossa história toda, conquistamos 24 medalhas olímpicas e temos apenas 4 Campeões Olímpicos.
Sabes quantas medalhas é que os Estados Unidos têm neste momento e SÓ nesta edição dos Jogos Olímpicos?
SETENTA E SETE!!!
Só na Natação foram 33 medalhas...
A China vai com 47 medalhas, o Reino Unido com 41, a Rússia (apesar de estar fora do Atletismo e com muitos atletas suspensos) vai com 36, o Japão com 27, a França com 25...
Podes estar pensando, mas não nos podemos comparar a estes países.
Claro que não!
Em termos de população e de CULTURA DESPORTIVA.
Aqui é só futebol, futebol, futebol, e são só os "três grandes", os outros...
Honra seja feita aos adeptos dos outros clubes e aos seus dirigentes.
Lutam contra uma desvantagem ENORME.
E são sempre os três "grandes" a queixarem-se e a fazer ruído.
Isso é grande parte do "desporto" português...
É triste?
É...
Mas é a realidade.
Podemos melhorar.
Investir mais, aprender com os outros.
Os Atletas Independentes (refugiados e provenientes de países que têm problemas com o Comité Olímpico), já conquistaram uma medalha de Ouro e uma de bronze...
E têm uma delegação bem mais pequena do que Portugal!
Até o Vietname, tem mais medalhas do que Portugal (uma medalha de ouro e uma de prata).
Taiwan tem três (uma de ouro e duas de bronze), o Kosovo já tem uma campeã olímpica...
Enfim...
Nós nunca conseguimos mais do que três medalhas numa edição dos Jogos Olímpicos.
A Mongólia, a Geórgia, a Arménia, a Malásia, vários países estão à nossa frente no quadro de medalhas.
Em 206 delegações de países participantes (são 207 contando com os Atletas Independentes), estamos na posição número 67, graças à medalha de Telma Monteiro, empatados com países como o Quirguistão...
Não faltam países que não ganharam sequer uma medalha, isto é competição ao mais alto nível, mas nós podíamos fazer melhor...
Não achas?!
Temos de aprender com os que ganham.
Nos Estados Unidos, Michael Phelps, qualquer atleta, em qualquer modalidade, tem de passar pelos "trials"!!!
E aquilo não é brincadeira...
O próprio Phelps já disse que participou em provas de "trials" mais difíceis, do que propriamente nos Jogos Olímpicos.
Funciona assim:
- "Meu amigo, como é que tu te chamas?".
- "Michael Phelps, tenho 28 medalhas olímpicas e sou o atleta mais medalhado de sempre.".
- "Então, colocas aí esse número e vais saltar para a piscina.
E espero que tenhas treinado, porque temos aí uns jovens que são umas máquinas...
Se fores mais lento, adeus Jogos Olímpicos!!!".
O nome e o currículo é irrelevante...
Completamente irrelevante.
É a lei da natureza...
Competição, competição, competição, sobrevive o mais apto e o mais forte.
Por isso, o que aconteceu na Maratona Feminina, era para "rolarem cabeças" na Federação Portuguesa de Atletismo.
A prática do desporto nos Estados Unidos, SEJA QUAL FOR A MODALIDADE, é uma forma de uma pessoa "vencer na vida"!!!
Existem vários estímulos...
Nomeadamente, um jovem vai logo para uma Universidade se tem aptidão numa modalidade qualquer.
Não precisa de ser um Einstein...
Eles tratam logo do futuro dele.
Todas as modalidades têm praticantes, milhares e milhares de praticantes nos Estados Unidos!
Eles não se limitam a gostar, ou apostam tudo numa modalidade.
Por isso, é que o futebol quase não tem expressão lá...
Vamos dar outro exemplo.
Ontem, o jovem brasileiro, Thiago Braz, "chocou" o mundo ao bater o recordista do mundo do Salto com Vara e o "campeoníssimo", Renaud Lavillenie, ao saltar 6 metros e três centímetros.
Bateu um recorde olímpico e o seu antigo recorde brasileiro duas vezes numa final olímpica!!!
Tornou-se num dos poucos homens que saltou mais de 6 metros ao ar livre no Salto com Vara...
Como é que isso foi possível?
Com muito trabalho, mas com um projecto...
Um projecto ambicioso, em que se levou tempo para obter resultados e em que foi preciso investir, ou seja, gastar dinheiro!
Sabes quem é o treinador de Thiago?
Há dois anos que ele é orientado pelo ucraniano, Vitaly Petrov, que foi só o treinador do ucraniano Sergey Bubka e da russa Yelena Isinbayeva.
Pois...
Nada acontece por acaso, "não há milagres"!!
É preciso conhecimento, é preciso trabalho, mas trabalho com competência.
Não basta talento ou capacidade atlética.
Em Portugal, espera-se pelos fenómenos...
Parece que querem os atletas já feitos.
Pergunta a cem miúdos o que é que eles querem ser quando forem grandes?
Nenhum quer ser esgrimista...
Quantos querem ser nadadores olímpicos?
Maratonistas?!
Pois...
Temos de ter competência, um projecto, ensinar os nossos jovens a amar e a praticar desporto.
Seja ele qual for...
Essa educação e incentivo, tem de começar nos próprios pais.
E temos de incentivar estes jovens a competir para vencer!!
Com recompensas concretas para a sua vida e para a nossa sociedade, após eles serem atletas.
Ensiná-los a competir a sério, numa lógica de "trials".
Nada de cunhas...
Os melhores é que vão aos grandes eventos.
Dedicar mais atenção a essas modalidades.
Nós não somos menos, nem mais do que ninguém, nem todos podem ser campeões olímpicos, mas já desperdiçamos muitos potenciais campeões olímpicos, que nunca sequer praticaram um desporto, em que podiam ser atletas de topo!
Se um português nasce com saúde, é igual aos outros, tem duas pernas e os mesmos dois braços...
É preciso é orientar os jovens desde tenra idade, através do desporto escolar.
E investir neles.
Temos de investir a sério em algumas modalidades, em infraestruturas, em técnicos de créditos firmados.
É muito "fanatismo", é muita "clubite", os três grandes, os três grandes, os três grandes...
E nem falam de futebol, só falam de polémicas!!!
A cultura do "paineleiro", é puro veneno para o nosso futebol, para o nosso desporto e para a nossa cultura desportiva.
"Futebol", os "três grandes" e falar de polémicas de dirigentes, lavar "roupa suja" de algo que já sucedeu à décadas e de "casos de arbitragem"...
Esta é a nossa "cultura desportiva", é isto que ocupa o horário nobre das nossas televisões, quando falamos de DESPORTO.
E vamos ver quando é que um clube português vai ganhar uma UEFA Champions League de novo...
Se acontecer este "milagre", não acontece dois anos seguidos!!!
A nossa prestação nos Jogos Olímpicos?...
Não é brilhante, não é péssima, é a nossa realidade.
Oxalá, exista mais alguma medalha.
No desporto não existe nada escrito, podem sempre existir surpresas e conquistas inesperadas.
Oxalá, isso aconteça para mais algum atleta português!
Mas não te deixes manipular pela nossa comunicação social, nem por dirigentes ou políticos incompetentes.
Esta é a nossa realidade!!!
Quem não semeia, ou semeia pouco, não pode esperar ou exigir uma grande colheita."

Sem comentários:

Enviar um comentário