sexta-feira, 9 de setembro de 2016

1 ano a viver juntos.

É verdade. Já passou um ano desde que dividimos o mesmo tecto. A mesma cozinha, a mesma sala, o mesmo quarto. Foi um ano que passou mesmo rápido. Fizemos tanta coisa juntos, ficamos a ambicionar muitas mais e traçamos neste ano muitas metas e objetivos. Somos ambiciosos.
Dificuldades, algumas mas todas ultrapassadas com sucesso. Sorte, sim, tivemos muita sorte em algumas coisas. Chatices, muito poucas. Dias sem falar, nenhum completo. É a vantagem de namorarmos e dividirmos casa, não há espaço para que os arrufos durem muito tempo. Sorrisos, caraças, muitos!! Mesmo muitos! Gargalhadas outras tantas porque ele é extremamente parvo. E não há quem segure a seriedade. Confesso que quando tudo começou não imaginava que existisse este lado "cómico" ou digamos "com bastante sentido de humor" da parte dele. Foi uma descoberta que se foi fazendo, e foi ótima.
Outra descoberta também, foi o vício em gomas e chocolate. Eu sempre fui mais de snacks de salgadinhos, tive que passar a ter toneladas e toneladas de doces nos armários por causa dele.
Num ano conseguimos "rechear" por completo uma casa. Desde a máquina de lavar, a máquina de café, TV, sofá, mesa (onde já recebi 15 pessoas), é quadros e tapetes, até lenha para a lareira. Isto num ano. Experimentem e vão ver que é tudo menos fácil. Contem também que entretanto já mudamos de casa. Já fomos a concertos, a jogos de futebol, já passamos férias, fomos ao teatro, a casamentos, batizados e até funerais. Já fizemos muito.
Foi o ano em que mais aconteceu na minha vida. A nível de tudo.
E digo-vos de coração.
Eu estou super feliz.
Super feliz com a vida que tenho, com o emprego que tenho, que de facto, me preenche quando nunca pensei que fosse acontecer. Com a vida de dona de casa, que diga-se de passagem tenho bastante jeito, sem entrar em parafuso. Com a família que continua a nunca me falhar e estão lá também sempre felizes também para me receber.
Mas estou feliz sobretudo, com a minha pessoa, o meu bem maior (até termos bebés). Estou feliz por ter encontrado esta pessoa, onde também menos esperava encontrar, e que me tem feito a mulher mais feliz do mundo. Sempre preocupado, sempre atento, sempre a proporcionar momentos inesquecíveis, sempre a pôr-me em primeiro lugar na sua vida, sempre a agradar-me, sempre a fazer tudo... por mim. Ensinou-me a olhar para o amor de outra maneira. Ensinou-me o verdadeiro significado de amar. Mostrou-me como é que uma relação deve funcionar. E como fazer com que as coisas resultem sempre. É sem dúvida o amor da minha vida e por este andar, da morte também! ❤ Amo-te, meu amor.



(Nota breve: a piada dos bebés é só uma piada. Sem bebés gente. Acalmem lá essa excitação toda.)

Sem comentários:

Enviar um comentário