domingo, 20 de novembro de 2016

Da velhice.

Há uns tempos atrás publiquei uma foto a preto e branco de algumas raízes do cabelo que estavam brancas. Nessa altura contava três cabelitos, coisa pouca e muito tímidos. Nos dias que correm já triplicaram a quantidade e o tamanho de cada um.
Entre o cresce e não cresce e o aparecimento das brancas de forma exponencial notei uma enooorme queda de cabelo minha. Não foi uma coisa sazonal, foi uma coisa que se prolongou por mais de um ano e que eu desvalorizava até ao dia em que fui fazer um penteado à cabeleireira e a menina que me lavou o cabelo perguntou-me se era normal aquela queda de cabelo ou se estava com algum problema. Eu disse que problema não havia nenhum e que a queda de cabelo (em excesso) tem sido recorrente.
Isto tudo para dizer o quê. Que está implementado no meu couro cabeludo à várias semanas um tratamento recomendado pela entendedora do assunto. Umas ampolas que aplico no couro cabeludo e um champô xpto.
E onde é que eu quero chegar? Quero chegar ao ponto de constatar que isto da velhice é uma bosta. Já não chegavam os primeiros cabelos brancos que crescem e se multiplicam, como ainda lhe dá para cair desalmadamente.
Tudo isto constatado a um mês de fazer 25 anos. Lá está, a velhice.

Sem comentários:

Enviar um comentário