sábado, 20 de outubro de 2018

Há uma primeira vez para tudo.

Nunca pensei que algum dia me sentaria no banco sem ser como atleta. Mas as emoções fazem parte da vida assim como as surpresas.
Desafiaram-me a ser treinadora adjunta de uma equipa de juniores de voleibol. Demorei apenas 30 segundos a dizer que sim, foi o tempo de ler a mensagem e responder.
Sem saber muito bem para o que ia arrisquei. Mesmo com o pouco tempo que sobra livre achei que seria uma boa opção.  E quase três semanas depois acompanhei-as no nosso primeiro jogo.
Ganhamos. 3 sets a zero.
Mas estava tão nervosa! Provavelmente mais que elas.
Acabou por correr tudo bem, mas isto só provou a mim mesma que ainda vivo muito o voleibol. Que foi provavelmente uma das fases mais bonitas e felizes da minha vida. E que talvez esteja na hora de renovar o ciclo. Mesmo após tantos anos desligada desse mundo.  Mais de 5. Há novidades, alterações,  coisas novas a apreender,  mas a essência continua lá toda. E quem sabe, nunca esquece.

No meio disto tudo, recebi outro convite que só falarei quando as dores musculares desaparecerem.

Sem comentários:

Publicar um comentário